Rss Feed
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
  1. De mim

    9 de julho de 2008

    Sei que posso ser quem sou sem ser só um.

    Mas
    Me vejo vedado no véu da vontade, verdade.
    Por isso, preciso sair, sumir, sentir
    Às vezes voar, velejar pra ver
    Pra saber pra onde ir
    Sim

    Saber que posso ser quem sou sem ser só um.
    | |


  2. Som raro e “só para raros”

    1 de julho de 2008

    O espetáculo vai começar. É essa a sensação de quem escuta a obra d’O Teatro Mágico, seus CD’s e músicas baixadas na internet. Uma banda-trupe singular no cenário musical - tão dominado pela mesmice dos genéricos americanos - faz um som nacional. Genuinamento brasileiro, porque afinal o Brasil é a mistura de sons e cores que fazem parte do repertório do TM.

    A banda de Osasco (SP) é uma verdadeira trupe de artistas com cantores, instrumentistas, atores, malabaristas, trapezistas, e o que mais couber no imaginário dos seus formadores. O show é uma grande variedade de música, encenações teatrais, espetáculos circenses, com direito a integrantes maquiados de palhaço.

    O Teatro Mágico é único no cenário nacional por diversos motivos. As influências existem, é claro. Quem escuta sem muito critério fala que a banda se parece com Engenheiros do Havaí - provavelmente por conta do ator principal da banda Fernando Anitelli, cujo timbre de voz se assemelha ao do vocalista da banda oitentista. Zeca Baleiro, Raul Seixas e até um pouco de Mutantes podem também ser pinçados do som “para raros”* do Teatro. Essa mistura, porém, não torna a banda “mais do mesmo”, muito pelo contrário, dá às suas canções uma sonoridade ímpar.

    Em seu acervo de encantamentos, a banda-trupe-circo traz letras de uma poesia simples e bela. É como um sarau, onde música, poesia e idéias soltas se misturam. São poemas transformados em canção. Violinos, flautas, gaitas, violão, sons chiados de rádio, e outras experimentações sonoras completam as boas letras.

    “Sem horas e sem dores
    Respeitável público pagão
    Benvindos ao Teatro Mágico.”


    *Entrada Só Para Raros é o nome do primeiro CD do TM. O segundo disco já lançado chama-se O Segundo Ato.
    | |